quinta-feira, 11 de junho de 2015

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

"Onde outros pretendem obras, eu só quero mostrar meu espírito"

Artaud sem Filtro

Espectáculo criado através de processo colaborativo pelo grupo A FÚRIA , e dirigido por Cristiano Burlan em 2004 , narra trechos da vida e da obra de Antonin Artaud, Actor e teatrólogo francês que nasceu no dia 4 de Setembro de 1896, em Marselha, e morreu em 1948, e teve sua vida marcada pelas internações e tratamentos desumanos em clínicas psiquiátricas.
O espectáculo aborda as relações conturbadas deste artista e suas reflexões entorno da suposta civilização e da cultura, e por sua vez o teatro da crueldade" visceral", próprio do universo da fome, da peste.
Nesta nova montagem o grupo Anjos do Mal pretende elucidar o sofrimento deste artista que desejava reformula a ideia de cultura e reaproxima o teatro da Vida, além de travar um debate entorno da sociedade e de suas concepções de arte e cultura, e como os artistas ainda são "Suicidados pela sociedade".

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Grupo Ajos do Mal Remonta ARTAUD: SEM FILTRO

Mais urgente não me parece tanto defender uma cultura cuja existência nunca salvou ninguém de ter fome e da preocupação de viver melhor, quanto extrair, daquilo que se chama cultura, ideias cuja força viva são idênticas a da fome.
Todas as nossas ideias sobre a vida tem de ser revistas pois vivemos numa época em que nada mais adere a vida .
E esta penosa cisão é o motivo para as coisas se vingarem, e a poesia que não esta mais em nós e que não conseguimos encontrar mais nas coisas reaparece, de repente pelo lado mal das coisas; e nunca se viram tantos crimes cuja gratuita estranheza só se explica per nossa impotência de possuir a vida .
Se o teatro existe para permitir que o recalcado viva, uma espécie de atroz poesia expressa-se através de atos estranhos em que as alterações do fato de viver mostram que a intensidade da vida esta intacta e que bastaria dirigi-la melhor.

Grupo Ajos do Mal Remonta :ARTAUD: SEM FILTRO

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Charles Baudelaire


Sepultura d'um poeta maldito

Se, em noite horrorosa, escura,
Um cristão, por piedade,
te conceder sepultura
Nas ruínas d'alguma herdade,

As aranhas hão-de armar
No teu coval suas teias,
E nele irão procriar
Víboras e centopeias.

E sobre a tua cabeça,
A impedi-la que adormeça.
- Em constantes comoções,

Hás-de ouvir lobos uivar,
Das bruxas o praguejar,
E os conluios dos ladrões.

Charles Baudelaire, in "As Flores do Mal"

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Após 3 anos dedicados a pesquisas e estudos o Grupo Anjos do Mal ensaia seu novo espetáculo, traz em seu enredo a vida e obra de poetas e artistas considerados malditos...